Saturday, October 09, 2010

Tropa de Elite

Eu não sou crítico de cinema. Pensando bem nunca comentei sobre algum filme. Hoje eu gostaria de comentar sobre um, na verdade pouca coisa, apenas falar do que eu pensei durante e logo após de ter assistido esse filme. Com esse comentário eu não pretendo me tornar um comentarista de filmes, muito menos um crítico de cinema. :P

O filme do qual estou falando é Tropa de Elite 2. Esse filme me surpreendeu, chamou muito minha atenção, do início ao fim. Diferente de muitos dos filmes "2", que dão sequência a um primeiro, esse filme teve a boa felicidade, ao meu ver e ao ver dos meus colegas, ser melhor do que o primeiro Tropa de Elite.

Como no primeiro filme, Tropa de Elite 2, fala dos problemas da sociedade do Rio de Janeiro que que são passíveis de serem resolvidos em última instância pelo BOPE - Batalhão de Operações Policiais Especiais. Mas, diferente do primeiro filme, o dois não trata apenas a corrupção das polícias e o tráfico, ele vai mais além, vai no topo da pirâmide. E delineia muito bem a evolução do crime organizado das drogas para as milícias, sendo estas lideradas por "homens da lei", policiais militares corruptos que ganham centenas de milhares de dinheiro cobrando CPMF (Cobrança dos Policiais Militares Filhos da puiuiuiui... - se não me falha a memória é isso) de todos os tipos de serviços que venha a existir nos morros e favelas cariocas.

O problema é que os "miliciantes" tornam peças chaves para garantir votos para os deputados e governador dos moradores das "comunidades". Aí que está o problema fisiológico do sistema político: sustentar o crime, combatê-lo e falsamente resolvê-lo, com isso a mídia divulga e se tem apoio popular e por fim se obtém votos. Essa é mais ou menos a cadeia organizacional da corrupção denunciada no filme (sim denunciada, no meu ponto de vista), que não existe apenas no Rio de Janeiro, mas em muitos outros estados do Brasil.

O filme mostra o lado avassalador e cruel do sistema para se expandir. Ele é como um rolo compressor que passa por cima de tudo e de todos sem piedade. E piedade é o que ele não tem para com aqueles que se levantam contra ele.

O filme para mim é uma denúncia contra o sistema político brasileiro que está corrompido que brinca com a sociedade de manipulá-la, mas também é uma advertência para esta mesma sociedade, dizendo para votar em pessoas de bens, não eleger ou reeleger pessoas com o mínimo de denúncia de corrupção ou quaisquer crimes.

Mas quando eu penso nisso eu entendo que o filme deveria ter sido lançando antes do primeiro turno das eleições deste ano, justamente para dar uma consciência ao eleitor para que muito dos políticos corruptos não fossem eleitos como foram mais uma vez. Foi aí que eu vi mais uma vez a mão do sistema, apesar de não ter impedido de o filme ser lançado. Será que essa é mais uma jogada dele?!

O filme começa com a frase: "Qualquer semelhança com a realidade é apenas uma coincidência. Essa é uma obra de ficção". Assista ao filme e tire suas próprias conclusões. Eu já tirei as minhas.

No comments: